26 de mar de 2012

Depois do Kraken




Eu podia estar limpando meus restos, mas não vai passar para dentro de novo
Não derramarei mais nenhuma lágrima pelo casco dessa barca
Não por essas situações,
Não por essas suas línguas

Digo, que por mais que beirem meus olhos as lágrimas não caírão
Digo, que por mais que tente, eu colocarei ferro nessa barca, esfriarei os motores e não deixarei você entrar
Não de novo
Ponho aqui o meu limite...
Não quer dizer que eu somente odeie
Mas não somente amo...
Te amo....
Por isso olharei, nos limites dessas suas ondas,
não mais entrará,
seremos dois, um amor de um pro outro

Assim o quero, mas o que queres?!

Se descobrir, estarei esperando, sempre!

Bela imagem do blog Antônio Machado

16 de mar de 2012

Das águas de março


"É pau, é pedra, é o fim do caminho..."

E dessas gotas que escorregam no corpo
que descarregam as tristezas
e deixa mais morno o ar

E dessa vida meio sem jeito
Desse olhar meio obscuro
Dessa fala sem sentido
que deixa voar

E dessas coisas
meio mudas
meio tristes
e meio alegres
que inundam e que se perdem
em águas de março
sem razão.
em restos.
vestígios daquilo que nunca se soube o que foi

"São as águas de março fechando o verão
É a promessa de vida no teu coração"

5 de mar de 2012

Dessas coisas






São nessas curvas que lhe traçam a pele que vejo o respeito,
São nesses olhos gentis, de quem jamais abandona, é que vejo o amor,
São nessas lembranças de ti que sinto um abraço.

São nessas horas da vida que vejo lembranças,
São nesses dias da vida que me reconforto,
São nesses meses que distanciam a dor e tudo vira saudade.

É sempre saudade...
É sempre uma lacuna com aquele resquício de sinceridade,
de carinho!

2 de mar de 2012

Dos dias de preto



Naqueles dias de preto em que a gente soluça
Naqueles dias em que os elos são fortes e que fazem rolar lágrimas
Não há palavras, não há o que ser dito no silêncio negro
Eu não me relembro de nada
Não me vejo a olhar
Apenas quero oferecer, um abraço
Apenas esse gesto que conforta e que leva ao chão
Por que a tristeza de dois é mais forte que uma
e porque as lágrimas se compartilham no coração
Naqueles dias de preto
em que um abraço é o gesto mais perigoso e afável
que o choro é tão libertador quanto a felicidade...
Naqueles dias de preto, além dos horizontes do marrom...